domingo, 23 de maio de 2010

Campineiro



Essa talvez seja uma das formas mais constantes de como eu imagino Mestre Irineu enquanto estou participando de seu hinário. O Mestre em profunda conexão com a floresta, o sol e os pássaros, após um árduo dia de trabalho, descansa contemplando a maravilha da criação.

A imagem lembra diversas passagens de seu hinário, mas duas em especial merecem registro :

Seis horas da manhã

Eu devo cantar

Para receber

A meu Pai Divinal

O pino do meio-dia

A luz do resplendor

Eu devo cantar

A meu Pai Criador

Seis horas da tarde

O sol vai se pôr

Eu devo cantar

A meu Pai Salvador

A terra é quem gira

Para mostrar

Toda criação

A meu Pai Divinal


E Também:


Sou jardineiro e sou campineiro

Tenho tudo que Mamãe me dá

No jardim eu tenho as flores

E nas Campinas eu andava atrás



Nenhum comentário:

Postar um comentário